Home

Treino Fitness
A aproximação inteligente
A história da musculação
A importância de ser acompanhado
Acessórios para musculação
As vantagens das caminhadas
Barra recta ou barra W?
Doping
É necessário usar cinturão?
Erros
Hipertrofia
Mito: Musculação causa varizes
Motivação acima de tudo
Musculação durante a gravidez. Seguro?
Musculação para crianças
Musculação para idosos
Musculação para mulheres
No ginásio ou em casa
Qualidade vs Quantidade
Segurança-no-ginásio
Sobre a musculação
Um bom sono

Alimentação
A alimentação a ter
A importância dos hidratos de carbono
Barras proteicas
Batidos proteicos
Introdução Suplementos
Musculação para vegetarianos. Sim ou não?
Receitas de barras proteicas
Receitas de batidos
Suplementos em detalhe

Exercicios
Resumo de exercícios
Abdomen
Biceps
Costas
Glúteos
Ombros
Peitoral
Pernas
Pescoço
Triceps

Lesões
A lesão mais frequente: Tendinite
Cãibras musculares
Lesões nos joelhos
Prevenção de lesões

Secçoes
Pesquisar
Contato
Condições de uso

Alimentação » Barras proteicas

Barras proteicasMuitas pessoas ignoram por completo este tipo de suplemento alimentar e compreende-se porquê: o preço. Muitos tipos de barras proteicas, especialmente aquelas vendidas em ginásios, são caras demais para o uso que se dá e por isso mesmo é que vamos discutir as vantagens e desvantagens deste tipo de suplemento.

Antes de mais, vamos tentar tirar um pouco dos maus rumores que existem à volta das barras proteicas. Elas não servem de forma alguma para substituir alguma refeição, pois as quantidades de nutrientes são reduzidas demais para esse efeito. Para isso existe os batidos e outros suplementos, contudo nada deve ser justificação para ter uma boa alimentação. As barras proteicas servem para tapar um “buraco” de vez em quanto, quando não tem a possibilidade de ir a casa tomar a sua refeição ou não teve tempo para preparar o batido e levar para o ginásio.

Como são fáceis de transportar devido ao seu tamanho, são práticas para ter na mala durante um treino de ginásio e caso se esqueça de tomar alguma refeição, então as barras proteicas são o ideal.

Como já foi referido, o preço destas barras não compensa qualquer tipo de “esquecimento” ou desculpas para serem utilizadas todos os dias, mas com certeza que serão úteis de vez em quando. Se a sua utilização for esporádica, o custo delas será insignificante.

Se algum dia se esquecer de tomar o pequeno-almoço, então é preferir comer uma barra proteica do que treinar em jejum. Como já foi referido em artigos anteriores, treinar com a barriga vazia pode causar mau estar, vómitos e momentos de fraqueza, entre outros sintomas derivados da fome.

Quem se quiser aventurar, poderá sempre optar por uma escolha mais em conta, que é criar as suas próprias barras proteicas. Poderá ser um pouco mais trabalho, inclusive para quem não tem experiencia nem conheça ninguém que possa ajudar dando umas dicas, mas ao criar as suas próprias barras proteicas não fica só com a certeza que os ingredientes que constituem são mais saudáveis como também ficam mais ricos em proteínas, visto que as barras proteicas comerciais estão cheias de aditivos. Neste tipo de barras proteicas feitas em casa é possível usar outros suplementos como ingredientes, o que torna a perda de uma refeição, uma perda quase nula.

Para finalizar, não se esqueça que não são apenas os nutrientes o factor importante para que faça uma boa barra proteica, como também os seus ingredientes. Se a barra proteica tiver um mau sabor e for difícil de comer, então é preferível tentar de novo com um novo ingrediente mais saboroso (mel, por exemplo, é um ingrediente popular). Seja criativo na receita e vai ver que esta solução é bem mais económica e até divertida de se pôr em prática.